Entre as passas de um cigarro

Saturday, September 17, 2005

Espera
















Imagem de: Algel Trice


As horas passam lentas
No correr dos dias…

Espero-te ainda no fundo da rua
Junto ao lago e ao uivo dos lobos
Como naquela noite imensa…

Morri lá… sabias?
Agora já não sou eu!

É uma sorte ser-se tanta gente.


Asiram L. (alter-ego)

10 Comments:

  • At 8:44 AM, Blogger mfc said…

    Nunca somos só nós... seremos sempre nós e os outros.

     
  • At 2:42 PM, Anonymous Márcia said…

    É uma sorte ser-se tanta gente.

    um achado esse verso!

    beijos azuis daqui.

     
  • At 1:38 AM, Anonymous Anonymous said…

    Lindo como sempre
    Filha de SafO

     
  • At 4:36 PM, Blogger AS said…

    Adorei o poema!....

    Um beijo

     
  • At 4:04 PM, Blogger Natalie Afonseca said…

    Líndo poema!!!! :)

     
  • At 4:04 PM, Blogger Natalie Afonseca said…

    Líndo poema!!!! :)

     
  • At 4:26 AM, Blogger sotavento said…

    Quem é que espera, então?!... :|

     
  • At 8:48 PM, Anonymous sitiodasserras(anónimo pra alguns) said…

    Gosto de visitar quem considero amigo/a.
    As almas, quase sempre as de tom azul,"sabem-se"de um ou outro jeito...como se de uma "tribo"se tratasse.Partilha-se cumplicia-se a palavra e desenha-se o contexto.
    Um afago azul tb ele
    Um beijo azul assim...*

     
  • At 2:21 PM, Anonymous indigo des urtigues said…

    Estou a fumar um cigarro e entre as passas tento escrever , mas não me sai nada...
    Gostei do poema, ponto final.:)

    Beijinhos

     
  • At 3:31 AM, Blogger Orange said…

    É mesmo uma sorte.
    :)

     

Post a Comment

<< Home

 

eXTReMe Tracker